Linha de crédito pode beneficiar Alto do Moura
Seg, 05 de Outubro de 2020 18:53

 

Benefício do Governo do Estado pode girar negócio dos artesãos que ficaram parados na pandemia

 

 

A Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação, por meio da Agência de Empreendedorismo (AGE), abriu uma linha de crédito especial para a artesã e o artesão pernambucano que pode beneficiar diretamente os que trabalham, em Caruaru, no Alto do Moura, o maior Centro de Artes Figurativas das Américas.

 

De acordo com o secretário estadual Alberes Lopes, o artesão pode solicitar tanto a linha de crédito do Crédito Popular quanto a de Microcrédito. A primeira opção permite um financiamento de até R$ 3 mil, com 15 meses para pagar, considerando que os 3 primeiros meses são de carência. Os juros são de 1,49% ao mês, para as parcelas pagas em dia.

 

“Os recursos vão para girar o seu negócio nessa reabertura da economia. Qualquer pessoa autônoma, informal, qualquer pessoa que já tenha o seu negócio, que queira começar, pode acessar o site da AGE e fazer o cadastro” disse o diretor-presidente da AGE, Marcelo Barros.

 

Por outro lado, com o Microcrédito, é possível obter até R$ 10 mil, também com 15 meses de prazo de pagamento e mesmo prazo de carência. Neste caso, os juros são de 2% ao mês, para as parcelas pagas em dia.

 

O secretário Alberes Lopes também se reuniu com vários artesãos, no Alto do Moura, e ouviu algumas sugestões para estimular a venda de peças de barro neste final de ano, artesanato que conta a vida do nordestino, o seu sentimento, a sua realidade.

 

A partir de uma reunião na casa de dona Terezinha Gonzaga, que também vive e trabalha no Alto do Moura, ela e outras pessoas sugeriram que, se cada empresário comprasse R$ 400 ou mais de cada 10 famílias do Alto do Moura para presentear os amigos, decorar restaurantes, casas e até mesmo ambientes de trabalho, já estaria ajudando a todos os artesãos que pararam de vender durante a pandemia.

 

 

Texto e foto: Aline Moura/Seteq